Equipes de Saúde alertam para o aumento de casos de Sífilis 01/06/2017


Sintomas:


Os primeiros sintomas da doença são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas (ínguas). A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus e mesmo sem tratamento, essas feridas podem desaparecer sem deixar cicatriz, mas a pessoa continua doente e a doença se desenvolve. Ao alcançar um estágio mais elevado, podem surgir manchas em várias partes do corpo e queda dos cabelos. Após algum tempo, as manchas também desaparecem, dando a ideia de melhora. A doença pode ficar estacionada por meses ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo, inclusive, levar à morte.


 


Diagnóstico:


Todas as pessoas que tiveram relação sexual desprotegida (sem o uso de preservativo) devem procurar a ESF mais próxima de sua casa e fazer o teste rápido. Se for positivo, o exame será complementado com coleta de sangue.


 


Tratamento:


O tratamento é feito com antibióticos, sendo necessário tomar todas as doses indicadas.